sexta-feira, 25 de maio de 2012

AURORA - ADOLFO CASAIS MONTEIRO



AURORA

         A poesia não é voz - é uma inflexão.
         Dizer, diz tudo a prosa. No verso
         nada se acrescenta a nada, somente
         um jeito impalpável dá figura
         ao sonho de cada um, expectativa
         das formas por achar. No verso nasce
         à palavra uma verdade que não acha
         entre os escombros da prosa o seu caminho.
         E aos homens um sentido que não há
         nos gestos nem nas coisas:

         vôo sem pássaro dentro.


         (Vôo sem Pássaro dentro, 1954)

5 comentários:

  1. Bom dia
    Aqui respirei nesta madrugada.
    A mensagem está límpida e é só abrir a caixinha.
    Parabéns por mais este espaço.

    ResponderEliminar
  2. Tulipa, boa tarde!
    Pois não, o sentido da poesia está no sentimento e na forma como se vê e encara o mundo.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  3. Olá Túlipa boa tarde,
    Este seu canto está lindo!
    Respira cultura (como os seus outros espaços) e as suas fotos sempre magníficas!
    Beijinhos e muito obrigada pelo seu carinho.
    Excelente semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
  4. Muito interessante esta incursão sobre a poesia.Palavras que eu gostaria de ter escrito, no seu todo, mas sublinho:
    " um jeito impalpável
    dá figura ao sonho de cada um".

    Bela, a foto de tua autoria.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Já esqueci, todas as palavras que queria ouvir
    Todo os sentires por sentir
    Já não sou protagonista de uma comédia de enganos
    Sou apenas demiurgo de uma perversa cena de uma chegada sem partir

    Sou uvas amargas do mês de Abril
    Vinho de travo verde ao beber
    Semente atirada ao meio das pedras
    Olhos na bruma na inquietação do ver

    Uma imensa e incontida força neste peito
    Na alma uma cicatriz, qual estigma
    Serei apenas um barco de papel à deriva!?
    Ou como já alguém disse, um…Enigma…

    Doce beijo

    ResponderEliminar