sábado, 16 de fevereiro de 2013

AMENDOEIRAS (EM FLOR)



FEVEREIRO

Todos os anos venho fazendo planos de no mês de Fevereiro 

ir dar um passeio para ver as 

AMENDOEIRAS EM FLOR 

este ano também planeei, só que, por outros motivos já não vou...

a Esperança não morre e, mais um ano vou esperar, 

para poder realmente ir onde isso acontece, 

seja no norte ou sul de Portugal. 

Só que, pensando nisso lembrei-me desta foto que captei, 

na ALDEIA DE ALTE, no Algarve, 

em homenagem ao advogado, POETA e dramaturgo 

FRANCISCO XAVIER CÂNDIDO GUERREIRO.



Amendoeiras
Em Fevereiro, quando lá de cima
Deus, com a tinta de luar, escreve
Seus lindos versos algarvios, rima
A flor das amendoeiras com a neve…

Neve em flor! Sonho! Alvura! Quem descreve
O noivado irreal que se aproxima,
Pão branco, tão diáfano, tão leve,
Que nem talvez na música se exprima?

- Meninas da primeira comunhão,
Ascéticas, descendo da montanha
À beira do caminho em procissão,

Em vias-lácteas de perfume brando,
Oiço-vos bem a sinfonia estranha,
- Porque, amendoeiras, vós estais cantando…
Cândido Guerreiro

Portugália Editora, Lisboa, 1943


12 comentários:

  1. A TODOS que me visitam:

    Muito obrigada pelas VOSSAS
    palavras e o CARINHO com que me visitam.

    Sei que NÃO VOS TENHO VISITADO
    estou em falha,
    mas como já expliquei - tenho Fé em Deus que seja uma fase menos boa...

    Vou ACREDITAR que daqui a algum tempo,
    eu melhore dos meus olhos.

    Como aqui escrevi no fim de 2012,
    neste blog virei apenas
    1 vez por mês.
    Diminui imenso a minha presença na blogosfera.

    A TODOS
    AGRADEÇO as vossas visitas e apoio!

    ResponderEliminar
  2. Nasceu em Alte em 1871
    e faleceu em Lisboa em 1953.

    Foi advogado, poeta e dramaturgo.

    A poesia de Cândido Guerreiro espelha a afectividade
    que o Poeta tinha à terra que o viu nascer.

    Com um vasto leque de temas (filosóficos, picturais, eróticos, lendários, históricos e bíblicos),
    Francisco Xavier Cândido Guerreiro nunca esqueceu
    as suas origens árabes e os seus ideais helénicos.

    É no soneto que encontra a forma ideal para a sua poesia
    luminosa e musical.

    ResponderEliminar
  3. Escritor português nascido
    a 3 de dezembro de 1871, em Alte,
    no Algarve, e falecido a 11 de março de 1953,
    em Lisboa.

    Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, exerceu o cargo de notário
    em Loulé e em Faro e
    foi presidente da Câmara Municipal de Loulé.

    Abrangendo o final do século XIX e a primeira metade do século XX,
    a sua obra poética reflete várias tendências estéticas:
    o Parnasianismo,
    presente em Rosas desfolhadas e Pétalas (coletâneas de 1895 e 1897, respetivamente);

    o Simbolismo-Decadentismo dos Sonetos
    (1904; 2.ª ed., 1916), à mistura com influências de Antero de Quental e de um misticismo próximo da corrente da Renascença Portuguesa;

    o nacionalismo de Promontório sacro (1929);

    o erotismo vagamente orientalista das suas últimas poesias, recolhidas em Sulamite (1945).

    ResponderEliminar
  4. Conheço bem Alte, e esse painel,...tenho um amigo de lá, e que chegou a ter um atelier aberto, bem interessante mas, depois teve que fechar pois durante grande parte do ano estava "ás moscas".
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. As amendoeiras são belas! Afinal de contas 'tudo' é BELO. A beleza somos nós que a fazemos.
    --------
    Tudo de bom por aí.
    Manuel

    ResponderEliminar
  6. Já há alguns anos que não vou ver as amendoeiras em flor...mas é algo, sem dúvida alguma, de maravilhosamente bonito!
    Um beijito.
    (espero que te encontres melhor)

    ResponderEliminar
  7. Um magnífico soneto.
    Depois de ter lido o teu post no outro blog, este até tem mais sabor...
    Beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
  8. .

    .

    . são lindas as amendoeiras em flor . :) .

    .

    . na malaysia . por esta altura . utilizam imensas . mas artificiais . para decorarem todas as ruas e edifícios comerciais . por via de celebrações religiosas .

    .


    . as nossas são verdadeiras . :) . pelo que . merecem ser vistas e apreciadas e até fotografadas . para mais tarde . recordar .

    .

    . um bom domingo .

    .

    . um beijinho meu . querida Ester . sempre amigo .

    .

    .

    ResponderEliminar
  9. *
    amiga
    ,
    e os figos, figos, muitos, muitos,
    adoro-os e fervidos e cozidos ?
    ,
    um mar de D. Rodrigos, deixo,
    *
    ,

    ResponderEliminar

  10. Mulher .
    Mulher , mãe uma fera na defesa dos seus
    filhos.
    Mulher, avó segunda mãe jamais esquecida
    por um amor incondicional ,
    netos segunda gestação dos próprios filhos.
    Mulher ,bisavó nessa fase entendemos,
    nossa geração foi londe nosso amor foi infinito.
    Eu sou essa mulher .
    Sim..tia , irmã , mãe , avó , bisavó por isso venho te abraçar
    pelo Dia da Mulher.
    Por me sentir especial .
    Para você acreditar que tudo vale a pena
    quando abrimos a janela nosso coração ,
    e deixamos o amor entrar.
    A vida é eternizada por nós mesmo,
    não importa os obistaculos,
    que a vida coloca já que é impossível viver sem eles.
    Quero apenas ser lembrada com carinho.
    Mãe blogueira.
    Avó Blogueira.
    Por Fim bisavó blogueira.
    Sou essa mulher que veio
    para deixar um carinho no Dia das mulheres.
    Ser mulher é algo Divino.
    Desde ,que nos sentimos um ser especial
    diante de Deus.
    Parabéns não só a mulher,
    mais a eterna companheira .
    Beijos no coração carinhos na alma.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  11. Passei por cá, para deixar-te um beijito.

    ResponderEliminar