quinta-feira, 10 de maio de 2018

TARDE DE CINEMA




Ontem foi tarde de CINEMA 

"SÓ TE VEJO A TI"

ADORO cinema 

e não tive oportunidade de ir 
no meu dia de aniversário, 
estava em falta e calhou ontem. 

A escolha recaiu numa história que tem muito a ver 
com a minha triste sina. 

Um thriller que mexeu mesmo comigo. 

Quantas e quantas vezes faço este gesto 

na sala de consulta de oftalmologia. 

A minha ida a Coimbra foi mesmo marcante pela negativa, 

quando a ideia era trazer uma esperança de lá, 

fui tratada com tanta indiferença e desprezo 

que jamais esquecerei...





Gina depende do marido para tudo!

Mas, Gina conseguiu ser operada a uma das vistas, 

a mesma que eu tenho cega... tantas coincidências!





Para quem estiver interessado(a) 
nos comentários falarei sobre a história do filme!




talvez por ser ainda uma estreia, encontrei poucas imagens 

deste filme na net; como sempre tenho dito, as fotos dos meus blogues 

são todas de minha autoria excepto as dos filmes, como é o caso.

 Aproveito para falar de outro filme que vi em Março passado 

e ainda não tinha aqui, neste blogue falado sobre ele. 

LADY BIRD




Para quem estiver interessado(a) 
nos comentários falarei sobre a história do filme!




e, quando tudo corre mal, 

só lhe resta ir à procura da verdadeira AMIGA...



10 comentários:

  1. Amo cinema

    Já acompanho o seu blogue há muito tempo e hoje abri o meu próprio espaço onde postarei fotos tiradas por mim, poesias, prosas, mensagens e sentires do coração.
    -
    https://olharesedeslumbres.blogspot.pt/
    -
    Vou colocar o seu blogue no meu, esclarecendo que o retirarei de imediato caso assim me seja determinado

    Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também amo cinema
      noutros tempos eu conseguia ir ao cinema 3 vezes por mês,
      agora se vou 1 x ao mês já fico feliz.

      Porque eu não gosto de ver cinema em casa,
      não é a mesma coisa.

      Pois, Nataline diz:
      Já acompanho o seu blogue há muito tempo!

      Pois se nunca comentou eu não iria saber que me acompanha.

      Além deste blogue tenho mais outros três,
      cada um dirigido a temas diferentes.
      Este tem mesmo a ver com aquilo que penso
      e dou a minha opinião ou crítica, conforme!

      Se abriu o seu próprio espaço
      terei muito gosto em o visitar.
      https://olharesedeslumbres.blogspot.pt/

      Lógico que pode colocar o meu blogue no seu
      Obrigada
      e muito grata pela sua visita e comentário.
      Tulipa

      Eliminar
  2. SOBRE O FILME:

    SÓ TE VEJO A TI - All I See Is You
    DRAMA • 109M • M/14 • ESTREOU 3 MAI 2018
    Gina e James tem um casamento quase perfeito.
    Ela é cega, mas consegue ver através dos olhos e palavras do marido...
    Gina e o marido James têm um casamento quase perfeito.
    Depois de ter ficado cega quando era criança num acidente de automóvel que custou a vida aos pais, Gina depende de James para viver – uma dependência que parece dar força à sua relação.
    Através da imaginação e das descrições do marido,
    ela consegue ver o mundo.
    Apesar da sua deficiência, os dois desfrutam de uma colorida existência em Banguecoque, na Tailândia,
    onde James trabalha numa seguradora
    e Gina explora a vida no estrangeiro.

    Parece mesmo que o único senão na vida deste casal apaixonado é a sua dificuldade em ter filhos.
    Quando a oportunidade de ter um transplante da córnea
    e recuperar a visão é proposta a Gina,
    a relação do casal muda drasticamente.
    Agora, Gina vê o mundo com nova trepidação e a sua independência incomoda James.
    Mas quando Gina começa, inesperadamente, a perder de novo a visão,
    é quando descobre a perturbadora realidade do seu casamento e da sua vida.

    Interpretação - Blake Lively - Danny Huston - Jason Clarke - Wes Chatham - Yvonne Strahovski

    Realização - Marc Forster

    ResponderEliminar
  3. “Só te vejo a ti”
    é um filme sobre um amor obsessivo!
    Quer dizer....eu não diria que é amor mas mais maldade...
    pois também passo por isso
    e sei distinguir o que é amor e o que é maldade.

    Viver com uma pessoa com psicopatia e demónios internos é um verdadeiro terror.

    Blake Lively é Gina, uma mulher que perdeu a visão na infância,
    num acidente de viação que também lhe levou os pais.

    Gina tem um marido que nunca viu mas que crê amar e de quem depende para chegar ao fim de todos os dias e a quem, num cozinhado de afecto e gratidão, entrega todo o seu interesse e dedicação.
    Vivem numa Tailândia longínqua que a afasta do que conhece.
    uma mulher cega num país distante, dependente de um homem,
    podia muito bem enlouquecer e fazer-lhe a vida negra com tudo o que não vê mas pode imaginar.

    Gina era cega!
    Graças a uma cirurgia, recupera a visão e começa uma demanda de se conhecer a si e ao mundo. Fica livre, auto-suficiente e isso pode ser verdadeiramente assustador para quem definiu o seu papel, exclusivamente no lugar de cuidador.

    Jason Clarke, no papel de marido, não imaginávamos tudo o que James, o seu personagem, conseguiria fazer por medo de perder a sua nova mulher.

    É um filme rico em variações psicológicas e em detalhes das ligações humanas e, como todos os filmes, leva-nos a realizar quando ou como, na vida real, corremos o risco de chegar perto de comportamentos psicóticos.

    ResponderEliminar
  4. Título original:Lady Bird
    De:Greta Gerwig
    Com:Saoirse Ronan,
    Laurie Metcalf, Tracy Letts, Lucas Hedges
    Género:Comédia Dramática
    Classificação:M/14

    Outros dados:EUA, 2017, Cores, 94 min.
    EUA, 2002.

    A terminar o liceu, Christine McPherson – ou Lady Bird, como prefere ser chamada – mal pode esperar por entrar na faculdade, de preferência bem longe de Sacramento (Califórnia), a cidade de onde nunca saiu.

    A mãe, uma enfermeira incansável que se desdobra em empregos para pagar as despesas familiares, acha a ideia absurda e despropositada. Contudo, determinada a conquistar o mundo a qualquer custo,
    Lady Bird não deixa de lutar para concretizar esse sonho.

    Enquanto Setembro não chega, ela vai vivendo o dia-a-dia com a naturalidade própria da adolescência, entre amores, desamores, conflitos e reconciliações…

    Uma comédia dramática sobre as dores do crescimento que marca a estreia na realização da actriz Greta Gerwig.

    "Lady Bird" foi nomeado para cinco das principais categorias dos Óscares: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento, Melhor Actriz Principal e Secundária. PÚBLICO

    ResponderEliminar
  5. O ambiente narrativo é típico dum primeiro filme, relata uma despedida da adolescência e uma entrada na vida adulta, ou pelo menos numa vida independente do reduto familiar

    É a história de Lady Bird (Saoirse Ronan),
    miúda do “lado do errado dos carris” de Sacramento,
    e do seu desejo de frequentar uma universidade longe dali,
    mais próxima dos grandes centros “intelectuais” da Costa Leste.

    Sacramento, cidade sem o glamour de outras cidades californianas, é logo eleita, através de uma citação de Joan Didion não muito abonatória para o sítio.
    E a piada sobre o “lado errado dos carris”, repetida ao longo do filme, se tem uma expressão concreta (a casa da miúda é perto da linha férrea), também sinaliza um dos aspectos mais curiosos do filme, e apesar de tudo raro no cinema americano, a sua preocupação com um complexo de classe — a família de Lady não tem dinheiro, a questão económica é central no filme enquanto entrave ao acesso a um mundo bem mais apelativo.

    ResponderEliminar
  6. Não sou muito me prender a filmes, mas gosto. :))

    Hoje:- "O meu ilusório, fluindo"

    Bjos
    Votos de óptima Quinta-Feira

    ResponderEliminar
  7. Bom dia. Confesso que não ligo nada a cinema. Nada mesmo. Mas respeito quem gosta como é evidente.
    .
    * Amar-te na periferia do Contratempo *
    .
    Cumprimentos Poéticos

    ResponderEliminar
  8. Mesmo antes de ler os comentários, fiquei curioso quanto ao filme. Por vários motivos. Porque passa-se muito tempo sem ir ao cinema e quando vejo a anunciarem os filmes fico com vontade de ir a todos. Porque o cinema - um filme - pode mudar as nossas vidas: já me aconteceu algumas vezes, na primeira em que fui ao cinema sozinho ver uma película italiana (em 1978) em que um professor e uma aluna tinham um amor impossível), e para referir só mais uma vez, em 2007, um filme que mudou radicalmente a minha vida, não sei se para melhor se para pior, nunca o saberei, mas aqui sem intervenção directa minha.

    Vem isto à conclusão que o cinema terá sempre o seu lugar e tu - além de fotógrafa e viajante - poderias também ser crítica de cinema pois sabes contar histórias, recordas os momentos mais importantes dos filmes e deixas no ar o mistério do fim... The End :-)

    ResponderEliminar
  9. Deve ser um filme muito interessante. Gostei do que contou.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar