quinta-feira, 29 de junho de 2017

AMOR ACIMA DE TUDO





Os meus pensamentos hoje vão para este filme que fui ver... 

desde Março que não ia ao cinema, 

já sentia falta de me sentar numa sala de cinema 

e olhar aquele ecrã enorme...

embevecida numa história linda de amor! 

Filme baseado no best-seller de Nicola Yoon.




Madeline aceitou pacificamente esta forma de Vida, 

mas... após 18 anos de uma vida enclausurada, 

um belo dia... aparece Olly como vizinho da casa do lado 

e, tudo muda! 

Para ela a vida deixa de fazer sentido 

se não puder viver um grande Amor...






até que... tudo arrisca! 

Quem de nós já não fez o mesmo, uma vez na Vida? 

Uma história que se repete na vida de todos os seres humanos!




e, finalmente realiza o seu sonho... 

de ver o MAR...!!!



5 comentários:

  1. Amor Acima de Tudo
    Título original: Everything, Everything
    De: Stella Meghie
    Com: Amandla Stenberg, Nick Robinson, Anika Noni Rose
    Género: Drama, Romance Classificação: M/12
    Outros dados:EUA, 2017, Cores, 96 min.

    Devido a uma doença rara que lhe afectou o sistema imunitário,
    desde muito pequena que Madeline (Amandla Stenberg),
    de 18 anos, vive fechada em casa.

    Para evitar infecções graves, a mãe (Anika Noni Rose), uma médica reconhecida, criou para ela um ambiente totalmente asséptico.

    A vida da rapariga limita-se àquela casa e a sua convivência resume-se à mãe e Carla (Ana de la Reguera), a enfermeira que cuida dela há já vários anos e que se tornou a sua melhor amiga.

    Um dia, uma nova família muda-se para a casa ao lado.
    Entre eles está Olly (Nick Robinson),
    um rapaz com quem começa a comunicar através da janela.

    Com o tempo, os dois apaixonam-se.
    Porém, conhecê-lo faz despertar nela um intenso desejo pela normalidade. Decidida a viver um amor igual aos outros,
    Madeleine decide fugir de casa com Olly
    e concretizar o maior sonho da sua vida: ver o mar…

    Com realização de Stella Meghie segundo um argumento de J. Mills Goodloe, um filme dramático que se inspira no romance homónimo de Nicola Yoon.

    ResponderEliminar
  2. SCDI...um "mundo" diferente...
    "Severe Combined Immune Deficiency"
    (Deficiência severa combinada do sistema imunitário),
    também conhecida por outros nomes,
    tais como "Glauzmann-Riniker Syndrome)
    é caracterizada pelo desenvolvimento desordenado das Células T e B, causado por mutações genéticas,
    é o tema (útil deste filme).

    Apresentado duma forma "leve" e bem disposta,
    deixa no ar uma "aragem" do que pode ser esta forma mais severa de imunodeficiências primárias,
    em que o sistema imunitário quase não funciona.

    Um "Romeu e Julieta" em versão moderna...a não perder.

    ResponderEliminar
  3. Madeline, de 18 anos, é literalmente alérgica a quase tudo.
    Em vez de ir para a universidade,
    está presa em casa sob o olhar atento de uma mãe super protetora.
    Toda a sua vida é controlada ao milímetro:
    com quem está, o que come...
    Nem sequer pode pensar em sair à rua.

    Madeline aceitou pacificamente esta forma de vida e entretém-se a ler livros, a ver filmes e a desenhar.

    Um dia, Olly muda-se para a casa ao lado e tudo muda.
    A amizade deles transforma-se em encontros secretos
    e Madeleine acaba por se apaixonar por Olly
    – um escape emocionante e perigoso.

    Para ela, a vida deixa de fazer sentido se não puder viver um grande amor.

    ResponderEliminar
  4. SÓ QUE, AFINAL...

    era tudo mania da cabeça insegura da Mãe,

    como pode ver no triller

    https://youtu.be/3-MukGF_h5E

    MADELINE É QUE ESTAVA CERTA...devia mesmo viver o seu grande Amor!!!

    ResponderEliminar
  5. Podias ser crítica de cinema, tal a maneira como sabes fazer a abordagem da película, pegar nas suas várias particularidades e singularidades, e não desvendar a história final, apenas abrir o apetite para ir ver... não tenho ido ao cinema e não tenho nenhum no horizonte que deseje ver, mas tomei nota, às vezes surge a oportunidade e agora com este calor é uma óptima maneira de passar uma tarde, por exemplo. E se o filme for útil, como o que descreves, então tanto melhor...

    ResponderEliminar