sexta-feira, 28 de outubro de 2016

MUSEU DOS COCHES




A visita ao "Museu dos Coches" em Belém, ontem,

fez parte do Programa Cultural do Mês do Idoso, 

no qual eu já tinha ido ao Porto, no início de Outubro. 



Iam no autocarro, utentes de dois Lares do Concelho da Moita,

 acompanhados com Técnicas 

e algumas pessoas que aderiram a esta iniciativa, 

como eu e alguns colegas da "Universidade Sénior". 

Assim teve início a visita ao "Museu dos Coches" 

no edifício novo. 

O primeiro exemplar é o 

"Coche oferecido pelo Papa Clemente XI ao Rei de Portugal D. João V"

(nos comentários farei a descrição do mesmo).






Muitos outros modelos de "Coches", tive oportunidade de apreciar.








"Muito Obrigado" à Câmara da Moita pela iniciativa.

Espero o próximo Outubro/2017 para saber 

quais os destinos contemplados na escolha do "Mês do Idoso"





13 comentários:

  1. Coche que integrava a embaixada enviada por D. João V ao papa Clemente XI.
    Coche de caixa aberta, de perfil trapezoidal,
    sem molduras e de recorte contracurvado nos alçados laterais,
    cada qual com uma porta quadrangular que abre apenas pelo interior por meio de um tirante ajustado.
    Dos ângulos da caixa fluem quatro montantes sobre os quais assenta o tejadilho amovível, de secção rectangular.
    Este, possui sanefa simples em veludo e é rematado superiormente por quatro terminais escultóricos

    ResponderEliminar
  2. Coche que integrava a embaixada enviada por D. João V ao papa Clemente XI.

    Carro triunfal "à romana", de caixa aberta montada sobre quatro rodas, assente sobre uma viga longitudinal de secção rectangular e suspensa e fortes correões de couro.

    O alçado dianteiro do coche é dominado por quatro figuras de vulto perfeito: ao centro, Sileno e um cavalo marinho enlaçados por grinalda, que sustentam a tábua do cocheiro, em forma de concha.

    Esta é flanqueada pelas figuras em tamanho natural da deusa Palas (Guerra), representada com a mão direita erguida em acto de comando, e da Esperança Renascida, à esquerda, com um ramo de flores na mão.

    Ambas as figuras se apoiam em fortes troncos que as sustentam e servem de montantes.
    O banco do cocheiro, bastante elevado, possui almofada de couro castanho com enchimento de palha de centeio (original),
    assente sobre correias de couro.

    ResponderEliminar
  3. Quatro colunas embebidas em falsos pilares truncados pela cimalha, estabelecem a ligação entre a caixa e o tejadilho do coche, apresentando no topo cabeças de delfins, em jeito de capitéis.

    O tejadilho, levemente convexo e montado a partir de uma armação de doze braços, é revestido a tela de ouro, que se apresenta bastante danificada.

    No alçado traseiro desenvolve-se uma composição escultórica perspectivada, alusiva à Navegação e à Conquista.
    Estes dois pólos temáticos são separados entre si por um eixo imaginário que continua o varal de sustentação da caixa e que termina com a cabeça do lendário Adamastor.

    O primeiro, à esquerda, é representado pela deusa Tetis (com compasso, esquadro e globo terrestre que lhe é oferecido por um Zéfiro), sustida em ombros por um tritão emergente dos destroços de uma antiga nau, e por diversas criaturas marítimas, entre as quais delfins e Palémon, deus dos portos, identificado pela bússola.

    Este instrumento tem marcados alguns dos signos do Zodíaco e, ao centro, uma representação da Virgem com o Menino.

    As rodas posteriores são constituídas por cinco pinas unidas entre si por "gatos" de ferro e cingidas no extradorso por um espesso aro de ferro munido de cavilhas.

    São esculpidas em forma de folhas de carvalho e landes, as quais completam logicamente a decoração dos raios.
    Estes são nivelados, em número de dez, e têm a forma de delfins e grupos de três serpentes, dispostos em alternância.

    Os raios estão interligados por duas circunferências internas, a primeira na base, junto à massa, e a segunda de maior diâmetro, formada por ramos de carvalho e landes.
    A decoração desenvolve-se igualmente nas faces interna e externa das rodas.

    ResponderEliminar
  4. Mês do Idoso deveria ser todos os meses pois a maior parte das pessoas idosas nunca teve oportunidade de usufruir de muitas das coisas boas da Vida. Mas, pronto, já não é mau o que a Moita faz, em comparação com outras Câmaras que nada fazem. É de louvar estas iniciativas. Acredito que para muitas das pessoas foi a primeira vez que estiveram no Museu dos Coches. Esta tua reportagem abriu-me o apetite pois só estive lá uma vez e tinha então 12 anos. Ainda não sou propriamente idoso mas já passou na verdade muito tempo e as coisas estarão diferentes com certeza. Fiquei com vontade de lá ir... obrigado pela dica :-)

    ResponderEliminar
  5. Fantástica a reportagem da ida ao Museu dos Coches. A iniciativa da Câmara da Moita é extremamente louvável. Obrigada pela partilha.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  6. Só acrescentar que é muito difícil fotografar estas estruturas por não serem lineares e terem muitos recortes e sombras, mas tu conseguiste muito bem, e inclusive, apanhaste umas sombras reflectidas que dão outra dinâmica às fotos. Este post poderia ser uma reportagem num jornal ou revista dos nossos tempos...

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde, maravilhosa selecção de fotos dos famosos e sempre belos Coches.
    Continuação de boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
  8. Olá! Tudo bem? Venho do blog da Emília. Olha, aqui no Brasil os coches mais famosos ao meu ver são os que pertenceram a Dom Pedro II e estão em esposição no Museu Iimperial na cidade de Petrópolis - RJ.
    Bem diferente desse que você nos apresenta, mas bem semelhante no poder de nos fazer retornar ao passado. Gratidão.

    http://anabelajardim.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  9. Cudowne karnety.Dzięki za zdjęcia mogłam zobaczyć takie cuda.Serdecznie pozdrawiam.

    ResponderEliminar
  10. Excelente reportagem sobre o museu dos coches. Há anos que não vou lá e a última vez que o fiz pareceu-me muito bafiento e decadente, presumo pelo que vejo nas fotos, puxaram o lustro aos ditos.

    Beijos Tulipa

    ResponderEliminar
  11. As fotos ficaram lindas!
    Já visitei este museu há uns 20 anos atrás!
    Bj

    ResponderEliminar
  12. Um local que há muito não visito, acho que desde menina que não voltei ao mesmo, assim como tantos outros, da minha cidade Natal. Todos os anos , com interrupção dos dois últimos, dou inicio a um projecto fotográfico anual, se tudo correr bem o mesmo este ano será dedicado a Lisboa, quero conhecer culturalmente e geograficamente a minha cidade, este será sem dúvida um museu a visitar, já estava na lista, mas ao ver as tuas fotos o apetite aumentou rss.
    Gosto muito das fotos.
    Mais uma excelente iniciativa da câmara da Moita. Parabéns tb aos responsáveis.
    Beijinho para ti e obrigada pela partilha

    ResponderEliminar